quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O Espetáculo da vida

Que você seja um grande empreendedor. Quando empreender, não tenha medo de falhar. Quando falhar, não tenha receio de chorar. Quando chorar, repense a sua vida, mas não recue. Dê sempre uma nova chance para si mesmo.
Encontre um oásis em seu deserto. Os perdedores vêem os raios. Os vencedores vêem a chuva e a oportunidade de cultivar.

Os perdedores paralisam-se diante das perdas e dos fracassos. Os vencedores começam tudo de novo.
Saiba que o maior carrasco do ser humano é ele mesmo.

Não seja escravo dos seus pensamentos negativos.
Liberte-se da pior prisão do mundo: o cárcere da emoção.
O destino raramente é inevitável, mas sim uma escolha. Escolha ser um ser humano consciente, livre e inteligente.
Sua vida é mais importante do que todo o ouro do mundo. Mais bela que as estrelas: obra-prima do Autor da vida.

Apesar dos seus defeitos, você não é um número na multidão. Ninguém é igual a você no palco da vida. Você é um ser humano insubstituível.
Jamais desista das pessoas que ama. Jamais desista de ser feliz. Lute sempre pelos seus sonhos. Seja profundamente apaixonado pela vida. Pois a vida é um espetáculo imperdível.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Você tem o poder de possuir o que quiser

Hoje não vou responder a nenhuma pergunta. Quero falar com você. Uma conversa íntima que possa chegar ao seu coração e que nos permita trocar idéias sobre seu mundo interior. No dia-a-dia, nós nos envolvemos tanto com os problemas, que esquecemos o quanto é importante entender nossos sentimentos.
Observar como enxergamos o mundo e as pessoas e perceber como reagimos aos desafios que surgem, nos convocando a reavaliar nossas atitudes e nossas escolhas em busca de soluções. Você provavelmente vai dizer que vivemos em um mundo no qual temos deveres, obrigações e que precisamos nos dedicar muito para dar conta de tudo. Pura verdade.
Mas também vale a pena indagar como se faz isso. Sua maneira de olhar para as atividades cotidianas faz a diferença. Pare um pouco e perceba como está agindo.Você costuma ficar todo o tempo protelando coisas desagradáveis, sem enfrentá-las? Vive tentando encontrar soluções para os desafios, mas não toma nenhuma atitude prática? Para não ser mal vista, assume responsabilidades contra a sua vontade? Conta seus problemas para os outros pensando que eles têm mais capacidade do que você para resolvê-los? Precisa provar para o mundo, o tempo todo, o quanto é ótima? Vai da euforia à depressão com facilidade, não encontrando seu ponto de equilíbrio? Não confia em suas decisões e muda de idéia quando alguém a contradiz? Acha que na vida tudo é difícil e precisa se esforçar ao máximo para alcançar seus objetivos? Sente vergonha de cobrar pelo seu trabalho e sempre afirma que “não liga” para o dinheiro? Se costuma manter esses pensamentos, saiba que, com eles, está limitando seu desempenho, atraindo o que pretende evitar, torturando-se de maneira cruel e obstruindo seu campo mental.
Cultivando valores invertidos, sem perceber seus potenciais e as conquistas do seu espírito, está negando o que você é de fato. Ninguém consegue ser feliz vivendo dessa forma. Ao invés de continuar assim, pode escolher um caminho melhor: descobrir seus verdadeiros sentimentos e procurar agir de acordo com eles.
Vai conseguir isso deixando de lado o convencional, valorizando o que sente. Ligue-se ao seu mundo interior. Reveja todas as suas conquistas, as aspirações de progresso, sinta sua dignidade, a vontade de ser auto-suficiente para comandar sua vida. Sinta que você é uma boa pessoa e sempre procura fazer o melhor.
Então, por que continuar se depreciando, pendurando-se nos outros? Os colegas e amigos só estão interessados em cuidar da própria vida e não têm nenhuma competência para saber o que, de fato, se passa em seu coração; muito menos têm possibilidade de resolver seus problemas. Aprenda a confiar em sua intuição.
Confie também na vida, porque ela sempre responde às suas necessidades. Não cuidou de você mesmo antes de nascer? Não cuidou quando estava no ventre materno? Não cuida ainda quando seu corpo dorme todas as noites? Não vai cuidar do seu espírito depois da morte do corpo? Confie em si mesma, em seus critérios. Sinta como é uma pessoa forte e jogue fora as dúvidas e os pensamentos ruins que atraem coisas desagradáveis. Você é um espírito eterno, criado perfeito pela inteligência divina.
Para ser feliz precisa tomar consciência de todo bem já conquistado e dos pontos fracos que estão aí apenas porque você ainda os ignora. Abra seu espírito, enxergue a vida como ela realmente é, sinta sua verdade e siga em frente. Você pode. O mérito, acredite, será todo seu!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Encare a vida com leveza

Nesta semana, quero que você aprenda um exercício para conseguir se livrar da tristeza.Mas, antes disso, quero ajudar você a lidar com o desapontamento, uma das grandes causas desse estado de espírito.Você já percebeu como nos frustramos por esperar muito das pessoas? Esse é um grande erro!
É difícil compreender como,muitas vezes, mesmo as pessoas mais queridas são incapazes de dar o que queremos — ou simplesmente não querem dar. Afinal, todos são livres para fazer as próprias escolhas.Você aceita isso? Não, né? Ninguém aceita uma recusa...

Onde eu quero chegar? Se você não esperar nada de ninguém, dificilmente ficará triste. Repito: não espere nada de ninguém. Se vier, ótimo; se não, siga em frente, sem alimentar o 'pobre de mim'.

E quer saber? Eu posso me desapontar comigo mesmo... Então, também não espero nada de mim. Viu só? Ao incorporar esse raciocínio, você conseguirá aquela leveza de que tanto precisa. Fica aí mais um toque pra você refletir. Agora, procure um local bem agradável, relaxe e leia o trecho abaixo:

'Eu estou aqui. Vivo a vida com os desafios que ela me traz. Eu não sou uma coitada. Não me encaro mais como uma vítima da situação. Eu me solto — e assumo minha coragem! Assumo minha vontade de seguir e a necessidade de me pôr pra cima. Digo o que quero, expresso meus sentimentos como eles são.

Sim, eu posso deixar que as pessoas cuidem dos problemas delas — e eu assumo os meus. Eu posso me pôr para cima sem esperar nada de ninguém,porque sou livre pra aproveitar tudo que há ao meu redor. Eu decidi ser engraçada, ter humor e não levar as coisas tão a sério. Eu posso encarar as coisas com seriedade, mas sorrir sempre.

Eu posso sorrir, eu posso jogar fora a mágoa, a tristeza, o desapontamento e as desilusões. Hum, que bom jogar fora as desilusões! Mais do que tudo isso, eu me aceito. Sou assim mesmo e aceito que tenho uma série de defeitos e fraquezas — características que as pessoas consideram inadequadas. Mas é o que eu sou, é desse jeito que eu sei fazer. Quero estar bem comigo. Os outros não fazem por mim. Eu me viro — e vivo muito bem!'

Ah, como isso é gostoso, não é mesmo? Você já reparou como há muitos recursos que você pode usar para se sentir melhor? Observe bem: quando você está numa situação delicada, muitas coisas podem acontecer para indicar a você um caminho — esta coluna, por exemplo. De repente, você está pra baixo, e esta revista traz uma mensagem que pode aliviar sua tristeza.

Viu só? Então, existem muitos recursos que nos garantem a certeza de dizer assim: 'Aconteça o que acontecer, eu me viro. Eu vou arriscar'. Pois é, um dos grandes segredos para sair da tristeza é arriscar. Então, vamos lá! Arregace as mangas, pise fundo e ponha uma coisa em mente: a gente sempre terá de enfrentar problemas na vida. Então, encare-a com boa-vontade, de coração aberto, com o seu melhor.

Não... a vida não caminha de acordo com os nossos sonhos. E não faz mal que seja assim. O importante é que ela segue, e que há sempre um mistério que pode nos encantar!

pequeno texto


A maior aventura de um ser humano é viajar,
E a maior viagem que alguém pode empreender
É para dentro de si mesmo.
E o modo mais emocionante de realizá-la é ler um livro,
Pois um livro revela que a vida é o maior de todos os livros,
Mas é pouco útil para quem não souber ler nas entrelinhas
E descobrir o que as palavras não disseram...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Seja você mesma e mudará a sua vida


Como vai a sua vida? Você tem se tratado bem, dando espaço para que sua alma se expresse? Procura atender a todas as suas necessidades, estabelecendo seu bem-estar? Se a resposta for sim, você está ótima. É feliz, positiva, próspera e tudo ao seu redor dá certo.
Mas se não for assim e você se sente infeliz, é hora de parar e descobrir porque obteve tal resultado. Talvez esteja tentando ser uma pessoa “normal”, podando sua própria natureza na tentativa de ser aceita socialmente; submetendo-se às regras do que a sociedade convencionou como “certo”; tolhendo a manifestação do seu espírito, que tem características próprias e intransferíveis.
Compreensível: somos um ser social. Sentimo-nos bem quando inseridos no meio em que vivemos. Por esse motivo, muitas vezes nos iludimos, acreditando que isso só acontecerá se nos submetermos ao convencional – o que não é verdade e sempre nos faz pagar um preço muito caro.
Afinal, cada ser é único. Não existe ninguém igual a você. A vida é rica, exuberante e criativa. Embora estejamos todos sujeitos a leis cósmicas que dirigem o universo, cada um de nós possui múltiplas capacidades, distintos potenciais. E, como somos dotados de arbítrio, escolhendo de que forma desejamos viver, criamos nosso processo particular de desenvolvimento e progresso. Isso nos torna responsáveis pelas escolhas que fazemos ao longo da nossa trajetória, sempre voltada ao amadurecimento do nosso espírito e ao desenvolvimento dos nossos potenciais. Sendo assim, sua vida é resultado do que você fez dela.
Respeitar as leis da sociedade é bom e necessário. Mas daí a negar sua natureza, tentando parecer o que não é... Ao agir assim, você estará passando uma imagem contrária ao que deseja, uma vez que, dissimulando, provocará desconfiança.
Fazendo o que sente, sua insegurança aumentará. Não confiará em si e pode acabar dando seu poder aos outros, acreditando que eles sabem e podem mais do que você. Essa é uma grande ilusão, pois foi em você que a vida colocou o poder de escolha. Ele está dentro de você, esperando ser usado a seu favor.
Faça uma pausa. Deixe a razão de lado, entre em seu coração e sinta o que a deixa feliz. Quais atitudes lhe causam alegria e bem-estar? Conheça seus desejos íntimos, sentindo o que cada um deles lhe proporciona. Reconheça suas qualidades, sua bondade, a vontade de uma vida digna, útil, fazendo o melhor. Valorize-se. Não para os outros, mas para si mesma. Seja carinhosa consigo, mas sem ignorar suas fraquezas. Tenha paciência. Dê-se um tempo para tentar melhorar. Esses sentimentos harmonizam sua postura no cotidiano.
Também ajuda muito fazer tudo com capricho. Onde você estiver, colabore com a arrumação, mantenha a ordem – mesmo que essa não seja sua obrigação. As coisas públicas nos pertencem, todos temos de cooperar para mantê-las em bom estado. Embeleze a sua rua, plante árvores, flores, contribua para a beleza. Ela inspira coisas boas e traz bem-estar.
Cultive alguma arte, a boa leitura, uma música gostosa, uma revista bonita, uma pintura inspiradora. Se puder, faça um curso, aprenda a fazer uma obra de arte. Alimente seu espírito. Seja você mesma. Use todo o seu poder, amplie seus conhecimentos, expresse seus sentimentos, cuide bem de você.
Agindo dessa forma, emitirá energias boas, atrairá o bem. É hora de aprender a fazer-se feliz!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Um tradicional conto sufi


Há muitos anos, numa pobre aldeia chinesa, vivia um lavrador com seu filho. Seu único bem material, além da terra e da pequena casa de palha, era um cavalo que havia sido herdado de seu pai. Um belo dia, o cavalo fugiu, deixando o homem sem o animal para lavrar a terra.
Seus vizinhos – que o respeitavam muito por sua honestidade e diligência – vieram até sua casa para dizer o quanto lamentavam o ocorrido. Ele agradeceu a visita, mas perguntou:
- Como voces podem saber que o que ocorreu foi uma desgraça na minha vida?
Alguém comentou baixinho com um amigo: “ele não quer aceitar a realidade, deixemos que pense o que quiser, desde que não se entristeça com o ocorrido”.
E os vizinhos foram embora, fingindo concordar com o que haviam escutado.
Uma semana depois, o cavalo retornou ao estábulo, mas não vinha sózinho; trazia uma bela égua como companhia.
Ao saber disso, os habitantes da aldeia – alvoroçados, porque só agora entendiam a resposta que o homem lhes havia dado – retornaram à casa do lavrador, para cumprimenta-lo pela sua sorte.- Você antes tinha apenas um cavalo, e agora possui dois. Parabéns! – disseram.
- Muito obrigado pela visita e pela solidariedade de vocês – respondeu o lavrador. – Mas como voces podem saber que o que ocorreu é uma bençao na minha vida?
Desconcertados, e achando que o homem estava ficando louco, o vizinhos foram embora, comentando no caminho “será que este homem não entende que Deus lhe enviou um presente? “Passado um mês, o filho do lavrador resolveu domesticar a égua. Mas o animal saltou de maneira inesperada, e o rapaz caiu de mau jeito – quebrando uma perna.
Os vizinhos retornaram à casa do lavrador – levando presentes para o moço ferido. O prefeito da aldeia, solenemente, apresentou as condolências ao pai, dizendo que todos estavam muito tristes com o que tinha acontecido.
O homem agradeceu a visita e o carinho de todos. Mas perguntou:
- Como vocês podem saber se o que ocorreu foi uma desgraça na minha vida?
Esta frase deixou a todos estupefatos, pois ninguém pode ter a menor dúvida que um acidente com um filho é uma verdadeira tragédia.
Ao sairem da casa do lavrador, diziam uns aos outros: “o homem enlouqueceu mesmo; seu único filho pode ficar coxo para sempre, e ele ainda tem dúvidas se o que ocorreu é uma desgraça”.
Alguns meses transcorreram, e o Japão declarou guerra contra a China. Os emissários do imperador percorreram todo o país, em busca de jovens saudáveis para serem enviados à frente de batalha. Ao chegarem na aldeia, recrutaram todos os rapazes, exceto o filho do lavrador, que estava com uma perna quebrada.
Nenhum dos rapazes retornou vivo. O filho se recuperou, os dois animais deram crias que foram vendidas e rederam um bom dinheiro. O lavrador passou a visitar seus vizinhos para consolá-los e ajuda-los – já que tinham se mostrado solidários com ele em todos os momentos. Sempre que algum deles se queixava, o lavrador dizia: “como sabe se isso é uma desgraça?” Se alguém se alegrava muito, ele perguntava: “Como sabe se isso é uma benção?” E os homens daquela aldeia entenderam que, além das aparências, a vida tem outros significados.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

texto


Desejo que você
Não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la.
Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes.
Só é digno do pódio quem usa as derrotas para alcançá-lo.
Só é digno da sabedoria quem usa as lágrimas para irrigá-la.
Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência.
Seja um sonhador, mas una seus sonhos com disciplina,
Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas.
Seja um debatedor de idéias. Lute pelo que você ama.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Cuide da sua auto-imagem


Deixar de dar ouvidos à opinião dos outros e dedicar a sua atenção àquilo que você tem de melhor é o caminho para a felicidade Você sabe o que exatamente vem a ser auto-estima? É a idéia que você faz de si mesma. E a sua realização pessoal só acontecerá se você souber cuidar muito bem dela. Em outras palavras, se você souber se valorizar, se respeitar e se amar.
Como colocar isso em prática? É simples! Basta começar a dar mais importância às suas qualidades e deixar de se preocupar tanto com seus defeitos.
A estratégia para alcançar esse objetivo é a seguinte: ao colocar a sua atenção no seus melhores adjetivos e deixar em segundo plano os seus aspectos negativos, eles acabam ficando pequeninos e assim deixam de ser tão maléficos.
É minha gente, o grande problema, comum entre a maioria das pessoas, é essa maldita ideologia do “ser perfeita”. É impressionante como ela contamina todas as pessoas. Você já parou para observar quantas vezes já se sentiu deficiente e menor simplesmente por não conseguir corresponder ao modelo que considera ideal? É isso mesmo, àquele modelo que a sociedade prega como sendo o politicamente correto. Quanta ignorância!
Muitos são os que sofrem com isso: “não sou linda o suficiente”, “não sou inteligente o suficiente”, “não tenho dinheiro o suficiente”, e por aí vai. Gente, isso é desprezo, é abandono. O pior é que, de repente, você começa a se considerar a pior das criaturas. Pois pode parar com isso!
Entenda, definitivamente, que uma visão positiva sobre sua pessoa atrai emoções positivas. Estas, por sua vez, alimentam o que você tem de melhor e ajudam a minimizar aquele seu lado menos favorável. Procure, portanto, respeitar sua própria imagem, cultivando pensamentos bons sobre si mesma. Enquanto você continuar dando atenção a essas exigências que a sociedade impõe, suas qualidades ficarão escondidas sob uma cortina de idealizações.
É impressionante como existem muitas mulheres extraordinárias, cultas e até bem-sucedidas que caem nessa armadilha. Isso é muito perigoso, pois, se você se deixa dominar por esses pensamentos, acaba não vendo mais nada e dificilmente terá êxito nas suas empreitadas. Lembre-se de que nada sai bom se você mesma se desvaloriza e se anula. Deixe esse ideal de lado e conquiste a sua dignidade, sendo autêntica e respeitando a sua própria natureza. E mais: nada de ouvir a opinião alheia, viu? A chance de cometermos um erro é muito pequena quando não damos atenção a terceiros e só ouvimos aquilo que a nossa alma diz. Seu caminho para ser feliz pode ser totalmente diferente do que esses modelos que você viu por aí e na maioria das vezes é. Se o mundo lhe aceita ou não, isso não é importante. O principal é você se aceitar. Quando se tem o prazer de ser você mesma, tudo flui e anda às mil maravilhas. Se não acredita, é só observar. Quando a gente se dá o devido valor e se ama, a vida caminha de uma maneira muito mais prazerosa e saudável, plena de realizações.
Por isso, integridade pessoal. E já!
Invista na autoconfiança e passe a dar importância unicamente para você. Somente essa sua dedicação e consideração profunda por si mesma é que a levará para o melhor. Para a felicidade!

sábado, 9 de janeiro de 2010

texto


Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Coisas deste mundo


Uma vez, Rab Huna repreendeu seu filho, Rabbah:
“Por que não vás à conferência de Rav Chisda? Dizem que ele fala muito bem”.
“Por que devo ir?”, contestou o filho. “Todas as vezes em que o fiz, Rav Chisda falou apenas das coisas deste mundo: das funções do corpo, dos órgãos, da digestão, e de outras coisas ligadas simplesmente ao físico”.
E o pai disse: “Rav Chisda fala das coisas criadas por Deus e tu dizes que ele fala de coisas deste mundo? Vás e escute-o!”

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Seja sua eterna companheira


Como é triste a solidão!

Ela traz uma sensação de abandono, amargura, desprezo...

Poderosa, a solidão corta nossa alegria de viver e sufoca o que há de belo em nós. Mas olha só que curioso: a maioria das pessoas acha que a solidão é falta de gente. Na verdade, é a falta de si mesmo! Isso quer dizer que a solidão é um fenômeno interior, não depende dos outros. Você pode se sentir solitária mesmo quando está numa roda de amigos que lhe querem bem.

Afinal, a solidão representa o quanto você está longe de si. Então, o primeiro passo para acabar com a solidão é assumir a responsabilidade sobre a própria vida. Ou seja, você deve sair da posição de vítima e fazer alguma coisa por si. Ao fazer essas mudanças, um novo mundo de possibilidades se abre.Você precisa se encarar - bater de frente com as crenças e os valores absurdos que, até então, vinham regendo sua vida. Quando consegue fazer valer as próprias escolhas, você diminui a distância que tem de si mesma. E quanto menor for essa distância, mais íntegra, consistente e firme você ficará. Sua personalidade muda. Sua energia muda. O mundo muda! As pessoas olham diferente pra você e respeitam você, porque sua energia está diferente.

Então, vamos lá: abandone já esses valores do passado. Nada de ser uma pessoa bonitinha para o mundo, querendo ser aceita. Apoie sua própria verdade. Gosta de ser a mulher ideal, perfeita? Credo! Diga a si mesma: "Quero ser o que sou e me sentir bem. Quero assumir 100% meu modo de ser. Não quero agradar os outros. Estou tirando, agora, o poder que eu dei aos outros".

Nada de ficar se martirizando com o que passou. Você errou, sofreu com as atitudes do passado, mas o que importa é que, a partir de agora, está disposta a mudar. Você reconheceu seus erros e, agora, tem forças pra dizer não quando for preciso. Tem forças para ser o que realmente é.

Pra que fazer o que os outros dizem que é certo? Pra que ser o que a maioria espera, o que a religião espera, o que a sociedade espera? Pra sentir solidão? Não, mesmo! Esteja sempre com você mesma: se assuma, se defenda e se aceite. Assim, nada mais vai te assustar, porque você estará do seu lado.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Filhos brilhantes - alunos fascinantes


FILHOS BRILHANTES ALUNOS FASCINANTES
Bons filhos conhecem o prefácio da história de seus pais, filhos brilhantes vão muito mais longe, conhecem os capítulos mais importantes das suas vidas.
Bons jovens se preparam para o sucesso. Jovens brilhantes se preparam para as derrotas. Eles sabem que a vida é um contrato de risco e que não há caminhos sem acidentes.
Bons jóvens têm sonhos ou disciplina. Jovens brilhantes têm sonhos e disciplina. Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas, que nunca transformam seus sonhos em realidade, e disciplina sem sonhos produz servos, pessoas que executam ordens, que fazem tudo automaticamente e sem pensar.
Bons alunos escondem certas intenções, mas alunos fascinantes são transparentes. Eles sabem que quem não é fiel à sua consciência tem uma dívida impagável consigo mesmo. Não querem, como alguns políticos, o sucesso a qualquer preço. Só querem o sucesso conquistado com suor, inteligência e transparência. Pois sabem que é melhor a verdade que dói do que a mentira que produz falso alívio. A grandeza de um ser humano não está no quanto ele sabe mas no quanto ele tem consciência que não sabe.
O destino não é frequentemente inevitável, mas uma questão de escolha. Quem faz escolha, escreve sua própria história, constrói seus próprios caminhos.
Os sonhos não determinam o lugar onde vocês vão chegar, mas produzem a força necessária para tirá-los do lugar em que vocês estão. Sonhem com as estrelas para que vocês possam pisar pelo menos na Lua. Sonhem com a Lua para que vocês possam pisar pelo menos nos altos montes. Sonhem com os altos montes para que vocês possam ter dignidade quando atravessarem os vales das perdas e das frustrações. Bons alunos aprendem a matemática numérica, alunos fascinantes vão além, aprendem a matemática da emoção, que não tem conta exata e que rompe a regra da lógica. Nessa matemática você só aprende a multiplicar quando aprende a dividir, só consegue ganhar quando aprende a perder, só consegue receber, quando aprende a se doar.
Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia vai além, aprende com os erros dos outros, pois é uma grande observadora.
Procurem um grande amor na vida e cultivem-no. Pois, sem amor, a vida se torna um rio sem nascente, um mar sem ondas, uma história sem aventura! Mas, nunca esqueçam, em primeiro lugar tenham um caso de amor consigo mesmos.

domingo, 3 de janeiro de 2010

A arrogância da Força


A aldeia estava ameaçada por uma tribo de bárbaros. Os habitantes foram abandonando suas casas e fugindo para um local mais seguro. No final de um ano, todos haviam partido, exceto um grupo de jesuítas.
O exército bárbaro entrou na cidade sem resistência, e fizeram uma grande festa para comemorar a vitória. No meio do jantar, um padre apareceu.
“Vocês entraram aqui e afastaram a paz do lugar. Peço, por favor, que partam sem demora”.
“Por que você ainda não fugiu?”, gritou o chefe bárbaro. “Não vê que eu posso atravessá-lo com minha espada, sem piscar um olho?”
O padre respondeu calmamente:
“Não vê que eu posso ser atravessado por uma espada, sem piscar um olho?”.
Surpreso pela serenidade diante da morte, o chefe bárbaro e sua tribo abandonaram o lugar no dia seguinte.

Evite o reumatismo


A centopeia resolveu perguntar ao sábio da floresta, um macaco, qual o melhor remédio para a dor em suas pernas.
“Isto é reumatismo”, disse o macaco. “Você tem pernas demais. Precisava ser assim como eu; com apenas duas, raramente o reumatismo aparece”.
“E como faço para ter apenas duas pernas?”
“Não me amole com detalhes”, respondeu o macaco. “Um sábio apenas dá o melhor conselho; você que resolva o problema”.